Na última década, temos observado que a Educação Escolar não tem desempenhado com tanta eficiência o processo de formação da criança. Os motivos para tal, decorrem muitas vezes da ausência materna e paterna, nem sempre opcional, mas muitas vezes ocasionadas pela correria do dia a dia. O trabalho e os afazeres domésticos tomam o tempo dos pais e a possibilidade de participar do que deveria ser um processo construído em conjunto entre família, filhos e escola. No espaço escolar, nem sempre há o fornecimento de recursos, o preparo estrutural, o tempo necessário para o auxílio individual que a criança necessita.

Com a motivação de ajudar os pais a otimizar o tempo com seus filhos, complementando o ensino formal escolar, desenvolvemos estas dicas simples que, em longo prazo, farão toda a diferença no desenvolvimento do seu filho.

Os pais necessitam da compreensão de que eles também podem ser Educadores Criativos e que podem criar um espaço desafiador e incentivador ainda dentro de casa, sem gastar absolutamente nada!

Resultado de imagem para homeschooling

Mas afinal, o que é  homeschooling?

Nada mais é do que a educação domiciliar feita pelos próprios familiares da criança.

Alguns benefícios da homeschooling são:

  • Autonomia e independência da criança;
  • Maior desenvolvimento da coordenação motora;
  • Interesse por atividades de leitura;
  • Concentração;
  • Fortalecimento de laços afetivos familiares;
  • Maior liberdade;
  • Flexibilidade de horários;
  • Educação que respeita a individualidade do infante.

Em países como os Estados Unidos, Canadá, Austrália, Noruega e Nova Zelândia, o homeschooling é uma opção para os pais que desejam educar seus filhos sem o auxílio da escola. Entretanto, no Brasil as crianças obrigatoriamente precisam estar matriculadas em uma escola. Os responsáveis que descumprem tal medida podem cumprir penalidades. Portanto, o objetivo aqui claramente não é substituir o ensino escolar, mas complementá-lo.

CANTINHO DE ATIVIDADES

  • É importante que a criança tenha um espaço “especial” para o desenvolvimento dessas atividades. Um espaço que seja dela e adequado para ela. Pode ser uma mesinha para crianças ou até mesmo um tapete especial que seja específico para o desenvolvimento dessas atividades;
  • É interessante que os livros e atividades estejam na altura da criança, assim ela poderá utilizar aquele material sempre que quiser, favorecendo a autonomia;
  • Disponibilize sempre novidades para o seu filho, no que diz respeito a variedade de livros na estante. Faça uma espécie de rodízio com esses livros pois as crianças enjoam rápido das atividades. Sabemos que livros são caros,  portanto, busque sebos e feiras que disponibilizem livros infantis usados. Lembre-se sempre que isso é um investimento e também é um ato de amor;
  • Evite disponibilizar atividades demais (e brinquedos demais). As crianças não assimilam muitas informações juntas;
  • Crianças normalmente ganham muitos brinquedos de familiares e amigos. Quando for a vez dos pais presentearem a criança, prefira sempre jogos e brinquedos educativos ou desafiadores. Verifique sempre a classificação indicativa;
  • Mantenha o espaço o mais organizado possível. Crianças pequenas gostam de organização. Elas compreendem o espaço e se organizam também;
  • Mantenha uma rotina. Escolha sempre o mesmo horário para a realização de atividades. Isso ajuda na organização dos pais e também da criança. Se não for possível a realização de atividades diariamente, ajuste as atividades de acordo com a rotina da família;
  • Toda criança precisa de um momento com a família. Elabore atividades, jogos e brincadeiras com a família toda. A atividade também pode ser um momento de fortalecimento de laços afetivos. Muitas crianças possuem problemas de indisciplina exatamente para chamar atenção;
  • Mantenha os materiais sempre ao alcance da criança. Desde cedo, a maioria gosta de “rabiscar”. Mas para isso ela precisa compreender para que serve cada material e que eles estejam à sua disposição – canetinhas, lápis, canetas, carimbos, folhas de papel, giz de cera. Comece com o giz de cera e aos poucos introduza outros materiais, explicando sempre que o espaço para o desenho é o papel;
  • Acompanhe as atividades escolares do seu filho. Esteja sempre atento sobre os conteúdos para elaborar um roteiro de estudos;
  • Pergunte sobre as atividades feitas em aula. Conheça a professora do seu filho, converse com ela sobre suas dificuldades, sobre os gostos e potencialidades;

Quem sabe em um futuro não muito distante, tenhamos o Homeschooling como uma alternativa para o ensino formal, garantindo a descentralização do ensino.

IDEIAS PARA INSPIRAR

Este slideshow necessita de JavaScript.

Anúncios